A 7.ª Vara do Trabalho de Florianópolis acatou pedido de tutela antecipada em caráter antecedente do Ministério Público do Trabalho (MPT), que proibe Luciano Hang, proprietário da Havan, de influenciar politicamente os seus funcionários. O empresário apoia Jair Bolsonaro (PSL).

O juiz Carlos Alberto Pereira de Castro fixou uma multa de R$ 500 mil, caso a determinação não seja atendida.

De acordo com a decisão, a empresa terá de divulgar o despacho em todas as lojas e unidades administrativas da rede no país, deixando claro “o livre direito de escolha de candidatos aos cargos do pleito de 7 de outubro”.

Luciano Hang se manifestou através de uma live no Facebook, na tarde desta quarta-feira. No vídeo, ele diz que “estão usando a máquina pública para calar quem tem voz”.

Após a intimação, Luciano comentou que recebeu diversas mensagens dos funcionários: “O que nós podemos fazer pelo senhor? O senhor não fez nada, não coagiu ninguém.”

Ainda segundo o proprietário da Havan, milhares de empresários de todo o país tem realizado reuniões com seus funcionários, a fim de explicar qual será o futuro das empresas e do Brasil, como um todo, de acordo com o resultado destas eleições.

Com informações: Ascom do MPT-RS

Foto: Reprodução/Facebook