A Biblioteca da Secretaria Municipal de Educação (Smed) realizou, nesta quarta-feira, 15, a primeira ação do projeto Livro Andarilho em 2019. Foram ofertados 30 livros para o Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), distribuídos entre os visitantes e a biblioteca da instituição. Na área de pediatria do HCPA, ocorreu o Minissarau, proporcionando um momento de leitura, música e arte para os participantes.

Antes do evento, a coordenadora do Redes Pela Leitura, Cristina Rolim Wolffenbüttel, visitou a Farmácia Literária, uma ação do Poesia no HCPA, que visa a aproximar a comunidade hospitalar da literatura. Por intermédio do Livro Andarilho, alguns exemplares foram doados a fim de enriquecer o acervo. O restante dos livros foi distribuído entre os participantes do Minissarau.

Durante a ação, houve recital de poemas, com destaque para Mario Quintana e Cecília Meireles. Aliás, o trabalho de autores selecionados para o programa Adote um Escritor, que promove o encontro entre escritores e alunos, também recebeu atenção, como Ricardo Prado e Rosane Castro.

Já a parte musical do sarau ficou a cargo dos estudantes de música da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs): André Machado, Daniel Castilhos, Ana Luiza Vier e Guilherme da Silva Ramos. O quarteto executou canções como “A Lenda do Pégaso”, de Moraes Moreira, e “Janta”, de Marcelo Camelo.

De acordo com a coordenadora Cristina Rolim, o Redes Pela Leitura trabalha para realizar atividades que beneficiem não apenas os estudantes da rede municipal de educação, mas também todo o município. “Essa foi a primeira ação efetiva do Livro Andarilho, nesta importante instituição de saúde, ampliando o Redes para toda a cidade de Porto Alegre, que é a proposta para este ano”, diz Cristina.

Baseado no BookCrossing, o Livro Andarilho consiste na prática de deixar um exemplar num local público para ser encontrado e lido por outro leitor, que, por sua vez, deve repetir o gesto. A ação faz parte do Redes pela Leitura, projeto que reúne diferentes atividades vinculadas à política de leitura da Smed, como a plataforma digital Elefante Letrado, o Baú de Histórias e o Adote um Escritor.

 

Reportagem:  Fernando Campos (estagiário) / Supervisão: Cristina Lac

Foto: Manoelle Duarte/SMED PMPA