A cerimônia da premiação do 12º Açorianos de Artes Plásticas ocorre a partir das 18h da terça-feira, 19, na Pinacoteca Ruben Berta, na rua Duque de Caxias, 973, Centro Histórico. No mesmo evento, será aberta a exposição Áspera Melodia, de Carlos Asp. O artista será o homenageado desta edição do Prêmio. O evento contará também com a apresentação do quarteto de flautas doces Marsyas. A realização da mostra foi viabilizada por meio da campanha de financiamento coletivo organizada pela Associação dos Amigos das Pinacotecas de Porto Alegre.

A premiação busca valorizar e homenagear as importantes produções locais em artes visuais, que se destacaram ao longo do ano. Também tem como objetivo ser uma forma de registrar, mapear e fomentar as diversas manifestações e suas contribuições com processos de criação e inovação para Porto Alegre.

O edital para esta edição passou por uma atualização no sentido de valorizar as artes em todas as suas manifestações. As principais alterações foram nas categorias, que ficaram mais abrangentes para que, assim, atendam a todas as formas de expressão nas artes visuais.

Foram construídas parcerias com instituições. A Aliança Francesa, por meio do Instituto de França, repete o prêmio de Jovem Curador, com prêmio de viagem à França. Os espaços culturais Bronze e Jabutipê oferecem residências artísticas com acompanhamento crítico. A Fundação Iberê Camargo, também parceira desta edição, oferecerá uma residência. Além das parcerias, a Coordenação de Artes Plásticas irá disponibilizar a agenda das Pinacotecas Ruben Berta e Aldo Locatelli para os vencedores das categorias: artista e curador para realização de uma mostra.

A coordenadora de Artes Plásticas da Secretaria da Cultura, Adriana Boff, explica que o Prêmio reconhece o importante papel das artes visuais no desenvolvimento cultural e social da cidade. “Essa atuação alinha-se com as propostas de artistas, curadores, pesquisadores e entidades culturais que têm realizado eventos, ações, publicações e exposições, contribuindo para o fortalecimento do campo cultural como um todo”, enfatiza.

Áspera Melodia – A exposição apresenta trabalhos realizados por Carlos Asp desde os anos 70 até os dias atuais, entre desenhos, objetos e instalações. As peças foram escolhidas entre obras inéditas e outras pertencentes ao próprio artista e aos acervos da Pinacoteca Aldo Locatelli, do Museu de Arte do Rio Grande do Sul, da Fundação Vera Chaves Barcellos e da Pinacoteca Barão de Santo Ângelo do Instituto de Artes da Ufrgs.

Carlos Asp – Participou, entre 1976 e 1978, do Coletivo de artistas Nervo Óptico, grupo que se tornou sinônimo de uma estética artística contemporânea com destaque nacional, ao trazer para o campo das artes visuais gaúchas o uso da fotografia, do cinema (super-8) e da instalação como uma espécie de campo de força no panorama daquele período.

Marsyas, o quarteto de flautas doces – Na mitologia grega, Marsyas é um flautista que passa a se considerar tão perfeito que desafia o deus Apolo para uma competição, mas acaba perdendo. Já o quarteto Marsyas surge sem a pretensão do personagem mitológico, mas sim do prazer de jovens flautistas em interpretar música de câmara. Com repertório que vai do período renascentista ao contemporâneo, o grupo abrange diversas formações da família da flauta doce. Os integrantes vão interpretar obras de compositores como Bach, Telemann, Merula, Pixinguinha – peças escritas, transcritas e arranjadas para diferentes formações de quarteto de flautas doces.

12° Prêmio Açorianos de Artes Plásticas
Programação – terça-feira, 19
18h – Abertura da exposição Áspera Melodia de Carlos Asp
18h30 – Recital do quarteto de flautas doces Marsyas
19h15 – 12º Prêmio Açorianos de Artes Plásticas

Pinacoteca Ruben Berta
Rua Duque de Caxias, 973, Centro Histórico
Informações: acervo@smc.prefpoa.com.br / 51 3289 8292
Entrada franca.

Os indicados

Artista destaque
Ali Do Espírito Santo
Marina Camargo
Maristela Salvatori
Xadalu

Destaque em curadoria
Chico Soll, Fernanda Medeiros e Gabriel Cevallos
Diego Groisman
Francisco Dalcol
Henrique Menezes
Paula Ramos

Destaque em exposição individual
Antes e Ainda Agora, Marina Camargo, Espaço Cultural ESPM-Sul
Fauna Guarani, Xadalu, Bolsa de Arte Porto Alegre
Instantes e Permanência, Cláudio Martins Costa, Pinacoteca Barão de Santo Ângelo
Mário Röhnelt, Mário Röhnelt, Ecarta
Terramarear, Maristela Salvatori, Margs

Destaque em exposição coletiva
Arte Pop, Caroline Hädrich e Carolina Bouvie Grippa, Margs
Dias de Vênus Laboratório de Museografia, sob coordenação de Ana Albani, Casa Baka
O Poder da Multiplicação, Goethe – Institut Porto Alegre, Margs
O Tempo das Coisas I e II, Francisco Dalcol, Porão do Paço Municipal, Pinacoteca Aldo Locatelli, Pinacoteca Ruben Berta
Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea, Aliança Francesa, Porão do Paço Municipal

Destaque em ações de difusão e inovação
Associação Cultural Vila Flores
Pop Center: Projeto de Residência Artística
Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea
5º Festival Kino Beat
Simpósio Arte Além da Arte

Destaque em publicações
A Fotografia Como Escrita Pessoal: Alair Gomes e a Melancolia do Corpo Outro, Alexandre Santos
Conhecidos de Vista, Letícia Lampert
O Poder Da Multiplicação, Goethe – Institut Porto Alegre
Patrício Farias, Patrício Farias

Destaque em acervos
Arte Pop, Caroline Hädrich e Carolina Bouvie Grippa, Margs
CDP, Centro de Documentação e Pesquisa – Fundação Vera Chaves Barcellos
Exposição Cláudio Martins Costa, Clóvis Vergara de Almeida Marins Costa e Pinacoteca Barão de Santo Ângelo

Destaque em ação de educação
Exposição Fauna Guarani, Xadalu, Bolsa de Arte Porto Alegre
Exposição O Museu Desmiolado, Ceres Storchi e Cláudia Rejane Dornelles Antunes
Exposição O Relevo, Lenora Rosenfield

Destaque em instituição
Associação Cultural Vila Flores
Casa Baka Arte e Cultura
Lugar Espaço de Investigação Artística

Destaque fomento
Aliança Francesa Porto Alegre
Goethe Institut Porto Alegre

 

Reportagem: Cleber Saydelles/ PMPA

Foto: PMPA