“Roda, roda, roda, pé, pé, pé”, tenho certeza que vou ficar alguns dias com esta música na cabeça, como se fosse um daqueles hits chiclé. De fato, ouvi astros cantando. Quando eles entraram na Central de Imprensa, no Hotel Serra Azul, o frenesi parecia daqueles que podemos ver nos filmes dos Beatles. Mas não eram os quatro rapazes de Liverpool, eram as quatro crianças da Rua do Limoeiro.

Giulia Benite (Mônica), Kevin Vechiatto (Cebolinha), Laura Rauseo (Magali) e Gabriel Moreira (Cascão) mudaram a rotina do trabalho dos jornalistas em Gramado. Mas, a postura não era de estrelas, era a pureza de crianças. Na minha frente, a Mônica, o Cebolinha, a Magali e o Cascão ganharem vidas. E com a mesma alegria da turma, aceitarem todos os pedidos de fotos e assédio dos profissionais que, naquele momento, viraram fãs.

Tentando manter um pouco de profissionalismo e maturidade, fui conversar com a produtora, combinar entrevistas. Papo sério, de adulto, sem ceder ao fã dos gibis. Pouco depois, eles saíram.

Minha colega, Giovanna, saiu comigo, hora do intervalo, vamos almoçar. Na saída do hotel, lá estava a turma. Magali e Cascão cantando e brincando “roda, roda, roda, pé, pé, pé”. Neste momento, acabou a maturidade. Não resistimos, pedimos uma foto.

Enquanto nos arrumávamos, o Cascão (Gabriel) olhou minha camisa e perguntou: “O que é Ramones”. A Mônica (Giulia) respondeu por mim, “é uma banda, meu pai já falou sobre eles”. Aquele momento em que eu lembro que diferente dos personagens do Maurício, eu não fico eternamente com seis anos, o tempo passa.

Tiramos as fotos, dei parabéns às crianças pelo trabalho e o Cebolinha (Kevin) respondeu. “Obligado” Obligado? Eu é que agladeço. Obligado Maulício e obligado tulma.

 

Por Giovani de Oliveira