A violência e a freqüência dos ataques de criminosos contra os motoristas de aplicativo levou esta categoria – que hoje estima-se em cerca de 50 mil pessoas no RS – a gritar por um basta. A segunda-feira começou com manifestações desde cedo, com concentrações de centenas de motoristas e carreatas pela cidade, com a frota ostentando símbolos de luto.

Dando voz a este clamor, a RDCTV reuniu à noite, no programa Cruzando as Conversas, as lideranças da categoria e autoridades da segurança pública. Num debate ao vivo cheio de indignação e emoção – por conta também da participação da comerciante Neiva Amador, mão do jovem motorista Paulo, cujo corpo foi encontrado em Santa Catarina – o programa evidenciou a necessidade das empresas de aplicativo abrirem-se para um envolvimento maior com as entidades e principalmente com as forças de segurança.

O compartilhamento de informações sobre os trajetos e acima de tudo um controle maior sobre a identificação de passageiros foi ponto unânime entre o comandante do 9º. BPM, Ten.Coronel Rodrigo Mohr, a Diretora do Departamento de Polícia Metropolitana, Delegada Adriana Regina da Costa, os dois representantes de entidades de motoristas de aplicativos, Joe Moura (A Liga) e Reinaldo Ramos (Amplitec), e a mãe que transformou a dor da perda em força para batalhar por condições mais seguras de trabalho para a categoria que para seu filho representava a possibilidade de continuar bancando a faculdade de engenharia.

Espera-se que da reunião no Ministério Público com autoridades da segurança, entidades de motoristas e representantes das empresas de aplicativos surja uma resposta concreta que envolva de forma realmente comprometida as empresas que fomentam este serviço que originou uma nova fonte de renda para milhares de cidadãos e mudou os hábitos de transporte de outros tantos.

Confira o programa na íntegra: