| Alice Ros |

Agricultores dos municípios de Santo Augusto e São Valério do Sul, na região noroeste do Estado, identificaram dois agrupamentos de gafanhotos entre segunda-feira (30) e terça-feira (01). Em Santo Augusto, há registros de danos em árvores e plantas rasteiras. 

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) iniciou, ainda na segunda, uma investigação sobre os surtos na área. Segundo o chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Seapdr, Ricardo Felicetti, os gafanhotos avistados não têm relação com os animais que surgiram no final de novembro a cinco quilômetros de Porto Xavier, na fronteira com a Argentina.

“Estamos averiguando a situação, mas, segundo as informações obtidas, não se tratam de gafanhotos migratórios da espécie Schistocerca cancellata, com a Portaria de emergência vigente”, garante Felicitti. A espécie citada é a mesma das nuvens registradas na Argentina em junho e julho deste ano.

A ocorrência de gafanhotos de diferentes espécies é esperada “devido às condições climáticas e a época do ano”, afirma o agrônomo. De acordo com a secretaria, “a preocupação maior é a ocorrência de surtos de S. cancellata, já que o potencial de infestação e danos é maior. Há equipes diligenciando a região para o monitoramento e orientação aos produtores”.

Em nota publicada hoje (02) via Facebook, a Prefeitura de Santo Augusto reforça as orientações da Seapdr e assegura que a investigação aponta para “uma espécie endêmica”.  

Foto: Divulgação/Prefeitura de Santo Augusto

Compartilhe essa notícia: