Jogador raiz. Nada define melhor o garoto de 19 anos, meia, driblador e ambidestro, que teve suas origens longe das categorias de base. Gabriel Silva iniciou sua trajetória aos 14 anos de idade, no futebol de várzea de São Paulo, jogando pelo Atlético Diadema (hoje chamado de CAD Ribeirão Pires).

Gabriel logo chamou a atenção do São Caetano e passou a atuar pela equipe paulista. Em 2019 o Grêmio fez uma investida, com uma proposta de empréstimo com opção de compra, e assim o jogador veio parar na equipe porto-alegrense. Contratado para atuar no time sub-17, foi puxado para o sub-20 para compor o elenco da Copinha e surpreendeu com um gesto de maturidade. Após sua primeira Copa São Paulo, Gabriel Silva pediu para retornar à categoria inferior para priorizar sua formação, o que foi muito bem visto internamente já que a maioria dos garotos tem pressa para subir ao profissional.

Em 2022, o jogador voltou a disputar a Copinha, dessa vez se destacando positivamente e atuando em 4 das 5 partidas da equipe. Logo ao retornar da competição, foi integrado à equipe principal do Grêmio e foi utilizado diversas vezes durante a conquista do Campeonato Gaúcho. No ano, já atuou 18 vezes entre estadual e Série B, sendo frequentemente utilizado por Roger na segunda etapa das partidas.

A expectativa no atleta é enorme. Apesar de oscilar um pouco ainda, o potencial que apresenta é animador e já conquistou a simpatia da torcida. Após o início promissor de temporada, o Grêmio se mobilizou para renovar com o jogador, com o novo contrato terminando no final de 2025 e multa rescisória fixada em 40 milhões de euros.

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Compartilhe essa notícia: