Fora da disputa por grandes títulos neste final de temporada, o presidente Romildo Bolzan começa a planejar 2016, e a renovação com Renato Portaluppi é peça importante deste planejamento.

O presidente está otimista com a negociação.

Arte: Matheus Gomes

O retrospecto do treinador explica a vontade da direção gremista em ter Renato comandando o time em 2019. Além das conquistas da Copa do Brasil e da Libertadores da América, em 2016 e 2017, o desempenho em 2018, também advoga pelo ídolo.

Com 63 jogos no ano, o Grêmio de Renato acumulou 34 vitórias, 16 empates e apenas 13 derrotas. Um aproveitamento de 62%.

Além disso, o tricolor disputa com o Palmeiras o posto de melhor ataque do Brasil, ambos com mais de 100 gols marcados.

A defesa também foi bem. No Campeonato Brasileiro, por exemplo, o Tricolor sofreu só 23 gols. Apenas um a mais do que o líder Palmeiras, dono da melhor defesa da competição. E é preciso lembrar que em algumas partidas, Renato colocou um time alternativo em campo.

E mesmo não conquistando a Libertadores, em 2018 a torcida gremista comemorou os títulos da Recopa e do Gauchão, que não vinha desde 2010.

 

Foto: Lucas Uebel/ Grêmio