O candidato à presidência do Grêmio, Alceu Brasinha, entrou com uma ação na Justiça pedindo a liberação de votos para os sócios que aderiram ao plano de regularização ofertado pelo tricolor. Em votação, o Conselho Deliberativo decidiu que tal grupo não terá direito ao voto. O pedido foi protocolado na segunda-feira (22).

O Tricolor ofertou, em maio, um plano para os sócios que estavam inadimplentes pagassem apenas uma mensalidade para garantir a manutenção da matrícula. O Conselho Deliberativo do Grêmio decidiu, no dia 8 de agosto, por 122 a 92 votos, que os  2.513 sócios que aderiram ao plano de regularização das mensalidades não terão direito a votar ou serem votados nas eleições do tricolor.

Com isso, o candidato à Presidência do Grêmio, Alceu Brasinha, ingressou com um processo na Justiça do Rio Grande do Sul para que todos os sócios, contanto que sejam maiores de 16 anos e tenham mais de cinco anos de associado, possam votar ou serem votados.

O pedido foi feito com urgência, visto que o calendário eleitoral do Grêmio inicia em setembro. Até o final do ano, serão três votações – renovação de 50% do Conselho Deliberativo, mesa diretora do CD, 1º e 2 turnos para a escolha do presidente.

Os sócios podem votar para a renovação do Conselho Deliberativo e no 2º turno para a escolha para presidente. A mesa diretora é escolhida pelos próprios conselheiros.

Foto: Divulgação/Redes Sociais

Compartilhe essa notícia: