É pouco tempo, mas Carlos De Pena já caiu nas graças da torcida colorada. Anunciado no dia 1º de abril, em pouco mais de dois meses o uruguaio se adaptou ao futebol brasileiro, se tornou uma das lideranças do elenco, mudou de posição e ostenta os melhores números entre os jogadores do Inter na Série A.

Tudo isso fez com que sua presença no banco de reservas contra o Red Bull Bragantino tenha sido muito contestada, e a melhora da equipe após sua entrada, significativa. De Pena, inclusive, marcou o segundo gol da vitória colorada, já nos acréscimos, em cobrança de pênalti.

Foi o segundo gol do uruguaio no Campeonato Brasileiro, o que já faz dele um dos artilheiros da equipe na competição, ao lado de Alemão e Wanderson. E não é somente neste quesito que o meio-campista se destaca. Segundo o SofaScore, De Pena também é líder do time em assistências, grandes chances criadas, cruzamentos certos e interceptações no Brasileirão.

Embora tenha deixado De Pena no banco contra o Bragantino, justificando pela necessidade de ter dois volantes de contenção no meio de campo, o técnico Mano Menezes trouxe para si o mérito pelo bom desempenho do uruguaio, contratado por indicação de seu antecessor, Cacique Medina. “Pena é um extrema, foi contratado como extrema. Eu o transformei, ou eu o convidei para ser um médio, volante. E fico feliz que ele tenha esse reconhecimento externo, porque é sinal de que acertamos naquilo que queremos fazer”, disse Mano depois da vitória em Bragança Paulista.

Fato é que o treinador será muito cobrado se voltar a colocar De Pena no banco. Ao pedir a entrada do uruguaio no Nabi Abi Chedid, e cantar seu nome ao final do confronto, o torcedor colorado mostra que um potencial ídolo está surgindo. E os números justificam isso.

Foto: Ricardo Duarte/SC Internacional

 

Compartilhe essa notícia: