Após a vitória dobre o São Paulo, Odair Hellmann foi perguntado se D’Alessandro será titular na partida contra o Santos, o técnico Odair Hellmann desconversou. “Nós temos uma semana para trabalhar, vamos pensar com calma. O D’Alessandro tá conseguindo jogar muito bem, como todos os outros jogadores da equipe. Então, a gente vai pensar com calma. Se eu te der esta informação, eu passo a informação pro Cuca, que é um grande treinador, e é um jogo difícil”, despistou.

O meia era titular absoluto até a quarta rodada, quando o Inter perdeu para o Flamengo, por 2×0. O resultado deixou décimo terceiro na tabela, com duas derrotas, um empate e apenas uma vitória. Nas partidas seguintes, o argentino, lesionado, não pôde atuar.

Odair teve que encontrar um novo esquema e assim surgiu o tripé de volantes: Rodrigo Dourado, Edenílson e Patrick, tendo Pottker, Nico e Damião na frente. Deu certo. Resultados positivos foram se acumulando e, exatamente um turno depois, o Inter venceu o Flamengo e chegou à liderança do Campeonato. Na rodada seguinte, vitória no clássico Gre-Nal e manutenção no topo da tabela.

A sequência positiva, no entanto, foi interrompida. Após a vitória contra o Grêmio, o Inter perdeu para a Chapecoense e para o Sport, empatou com o Corinthians e venceu apenas o Vitória. Foram quatro jogos com o mesmo aproveitamento do início do campeonato. Coincidência ou não, o triunfo contra os baianos foi justamente quando D’Ale voltou ao time titular.

Contra o São Paulo, mais uma vez o ídolo saiu jogando, e foi ele, que encontrou Victor Cuesta livre, para só encostar e deixar Damião livre para marcar o gol da virada colorada. Após o jogo, o vice-presidente de futebol do clube, Roberto Melo, definiu a partida como a melhor apresentação do time no segundo turno. Com a lesão de William Pottker, aumentam as chances do camisa 10 sair jogando.

 

Foto: Ricardo Duarte/ Inter