Os trabalhadores da Segurança Pública do Rio Grande do Sul estão organizando uma manifestação para a tarde desta terça-feira (17), em Porto Alegre. A marcha reunirá as associações representantes dos oficiais e praças da Brigada Militar e também dos policiais civis.

Nas redes sociais, ASOFBM, ABAMF ASSTBM, ABERGS, AOFERGS, AESPPOM e FERPMB, que representam policiais e bombeiros militares, publicaram a convocação para a marcha, que tem como pautas a manutenção dos direitos e prerrogativas dos trabalhadores, simetria com as forças armadas na Reforma da Previdência. A manifestação também é contra a morte de policiais, os atrasos de salários e a quebra da paridade entre os rendimentos de ativos e inativos.

A Associação dos Oficiais da Brigada Militar (ASOFBM) ressalta que é a primeira vez em que praças e oficiais fazem uma manifestação em conjunto. Em sua página no Facebook, a entidade afirma que a Associação dos Sargentos, Sub-tenentes e Tenentes (ASSTBM) já confirmou a presença de 33 ônibus com policiais do interior. Além dos policiais ativos, as associações também estão convocando inativos, viúvas, pensionistas e esposas daqueles que não puderem comparecer.

A caminhada dos militares terá concentração na Praça General Sampaio, no Centro, às 13h. De lá, os manifestantes caminharão até o Palácio Piratini, com chegada prevista para às 14h.

Também às 13h, os policiais civis iniciam a sua concentração em frente ao Palácio da Polícia. Eles também protestam contra as mortes de policiais e os atrasos de salários, além da alíquota extra da Reforma da Previdência. A UGEIRM, sindicato que representa escrivães, inspetores e investigadores de Polícia do Rio Grande do Sul, ainda pede pela revisão do número de operações realizadas e pela publicação das aposentadorias.

Assim como os militares, os policiais civis também preveem chegada no Palácio Piratini às 14h.