O prefeito de Canos, Luiz Carlos Busato, decretou situação de emergência nos hospitais e unidades de saúde da cidade. Em nota divulgada pela Prefeitura, o governo do município atribui a decisão ao atraso nos repasses financeiros do Piratini.

De acordo com o texto, no dia 20 de dezembro, a dívida do Estado com Canoas alcançará a marca de R$45 milhões. A prefeitura afirma que Busato pedirá apoio do Governo Federal, para quitar os salários atrasados dos servidores que recebem mais de R$7 mil por mês, e o 13º salário.

Quanto à gestão dos hospitais, a proposta é pedir apoio do Grupo Hospitalar Conceição. O pedido vem após a decisão judicial que determinou que o município assuma o Hospital Universitário, o HPS, as UPAs e os CAPS.

Na terça-feira, a Prefeitura nomeou o procurador Francisco de Paula Figueiredo, para administrar as unidades de saúde, que antes eram geridas pelo Gamp, investigado por um esquema de corrupção.

 

Foto: Vinicius Thormann/ Prefeitura de Canoas