Um dos fatores de risco que gera acidentes pelas estradas é o uso do celular ao volante. Este, e outros temas sobre a segurança no trânsito, foram abordados no primeiro Circuito Urbano da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), que aconteceu neste sábado (24), em Porto Alegre.

Uma das propostas apresentadas no programa foi a de troca de papeis. Em um sistema de simulação, um motorista de um ônibus posicionou-se como passageiro e outro condutor de coletivo colocou-se no lugar do ciclista. A ideia era mostrar as dificuldades únicas de cada veículo, como por exemplo, as 17 zonas de ponto cego que o ônibus tem.

O sistema de simulação também mostrava os males do condutor dirigir alcoolizado, apresentando, diretamente nos óculos de realidade aumentada, os efeitos que a substância exerce na cabeça e nos reflexos do motorista. A simulação a visão fica distorcida e provoca tonturas similares ao da embriaguez.

Essas ações foram promovidas em um circuito com 300 metros de extensão para crianças, pedestres, ciclistas e motoristas com a habilitação em dia.

O uso do celular está em terceiro lugar, como fator de risco que mais causa acidentes nas estradas. Perdendo apenas para a embriaguez e a alta velocidade. Há também a atividade para mostrar a importância de não prestar atenção ao celular quando estiver ao volante. A equipe envia mensagens ao celular do condutor. Na primeira volta o motorista deve responde-las, na segunda deve ignorar. O objetivo é mostrar a diferença que o celular faz para a atenção do condutor.

Essas experiências promovidas pela EPTC tem o objetivo de mostrar aos condutores a responsabilidade, perigos e diferenças de veículos que existem no trânsito. Conscientizando da importância da atenção e responsabilidade ao assumir o volante.

 

Foto: Paulo Santos