As férias de inverno, mesmo com período mais curto, também exigem planejamento em relação aos mascotes da família, independente do programa decidido. Aos que vão para a estrada, é importante o uso de caixas de transporte ou cinto de segurança no transporte de cães e gatos. Capas específicas para bancos de carros são uma segurança extra, mas não substituem o cinto.
A médica-veterinária Juliana Herpich, da Unidade de Saúde Animal Victoria (USAV), explica ser necessária uma revisão na carteira dos bichos, conferindo se vacinas, vermífugo e anti-pulgas estão em dia para a segurança dos animais na estrada ou em hospedarias.
“No automóvel, evite a tentação de deixar o cãozinho solto. É um risco de acidentes para todos no veículo. Se acham que o bichinho pode sentir náuseas, existe medicação específica para isso”, alerta a médica-veterinária. Alimentos aos quais os animais estão habituados devem ser levados.
Outra orientação da Diretoria Geral de Direitos Animais, vinculada à Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams), é levar petiscos, caminha ou paninhos e um brinquedo favorito para facilitar a adaptação. “É importante parar a cada duas horas em viagens longas.  Para embarque em ônibus, avião e em outros países, são exigidos documentos específicos, que devem ser conferidos com antecedência”, sugere Juliana.
Se a decisão for viajar sem os pets, é importante ter boas referências dos locais de hospedagem para animais de estimação. Cães tem mais facilidade de adaptação a estes lugares. Gatos podem ficar mais estressados em hospedagens, portanto, o ideal é convidar um familiar que conheça bem seu animal, ou contrate um profissional especializado que visitará sua casa diariamente para alimentação, higiene e convívio com o gato.
Animais com problemas de saúde, ou mais idosos, que exigem cuidados intensivos, o mais recomendável é que sejam levados a uma clínica veterinária ou em algum serviço de hotelaria que ofereça atendimento veterinário no local. “E, acima de tudo, jamais deixar o animal só, ou solto nas ruas. Abandono é crime”, conclui.
Reportagem:  Ari Teixeira / PMPA
Foto: Ari Teixeira / PMPA