Após uma década de espera, uma antiga meta da Ceasa/RS (Centrais de Abastecimento do Rio Grande do Sul) vai beneficiar seis mil produtores gaúchos. A Focatto Distribuidora de Alimentos venceu a licitação para permissão de uso do antigo frigorífico da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), localizado na Ceasa. A expectativa é de que a unidade de conservação de hortifrútis, carnes e derivados do leite em ambiente refrigerado comece a funcionar no primeiro semestre de 2019.

Segundo a Comissão Especial de Licitações da Ceasa/RS, o lance da empresa vencedora foi de R$ 501 mil. O processo de escolha seguiu critérios definidos por lei, mediante contrapartida de investimentos na reforma, atualização e modernização das instalações de refrigeração, conforme projeto técnico desenvolvido pela empresa GGF – Soluções em Engenharia.

Além de atender às exigências ambientais e de segurança alimentar, o sistema de túneis de resfriamento será substituído por modernos equipamentos com capacidade para maior quantidade de produtos.

Durante quatro décadas, o armazém frigorífico operou por meio de comodato. Em fevereiro de 2015, atendendo aos apelos do governo, de secretarias de Estado e da própria Ceasa/RS, a Conab encaminhou a transferência do imóvel de 7.302,50 metros quadrados. Em agosto de 2016, o frigorífico foi repassado oficialmente à Ceasa/RS em audiência com o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, no Palácio do Planalto.

Medida histórica

O documento, que autorizou o repasse, foi entregue ao governador José Ivo Sartori pelo presidente da Conab, Francisco Marcelo Rodrigues Bezerra. O secretário do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Tarcisio Minetto, e o presidente da Ceasa/RS, Ernesto da Cruz Teixeira, entre outras autoridades, participaram da reunião.

“O repasse contribui para a sustentabilidade da Ceasa, auxilia os produtores e beneficia quem consome esses alimentos. Uma boa notícia às famílias que dependem dessa fonte de renda e abastecem nosso estado com produtos de qualidade”, afirmou Sartori à época.

Para Teixeira, a licitação do frigorífico é um feito histórico. A nova planta de refrigeração reduzirá custos para produtores e atacadistas, ampliará a gama de produtos ofertados e será importante fonte de recursos para a instituição. O investimento estimado será de cerca de R$ 2 milhões. Em troca, o operador terá isenção da permissão de uso do espaço por 13 anos, devendo pagar apenas a taxa condominial.

 

Texto: Eduardo Rodrigues/Ceasa-RS
Edição: Gonçalo Valduga/Secom

Foto: Divulgação Ceasa-RS