Stellio é uma palavra do latim, usada na biologia para nomear lagartos com manchas na pele. E foi a associação dessas marcar com a falsidade que deu nome a Operação Stellio, da Polícia Civil, em Pelotas.

Na manhã desta sexta-feira (29), a 1ª Delegacia de Polícia de Pelotas prendeu seis pessoas e apreendeu duas armas além de R$1,7 mil, e objetos comprados com cartões de vítimas do golpe do bilhete premiado. Foram cumpridos 31 mandados em sete cidades gaúchas e uma paranaense.

Responsável pela ação, a delegada Lisiane Mattarredona, contou que as investigações duraram cerca de um ano, enquanto lideranças do grupo criminoso foram presas preventivamente por outros estelionatos. “Atualmente quatro destes indivíduos estão presos no presídio de Guarapuava/PR e um no presídio de Soledade/RS”, relatou.

De acordo com a delegada, os principais investigados moram em Passo Fundo, mas a quadrilha possui membros em outras regiões do Rio Grande do Sul, em que foram cumpridas as ordens judiciais.

“Estima-se que o grupo criminoso tenha auferido mais de R$400 mil com os estelionatos aplicados na cidade de Pelotas”, acrescentou a delegada.

 

Foto: Polícia Civil/ Divulgação