As ligações feitas por engano ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegaram a 22% dos chamados recebidos em agosto. Das 18.153 solicitações, 4.034 foram ligações feitas por engano, segundo motivo mais comum dos contatos telefônicos. O número aumentou na comparação com julho, quando foram realizados 3.446 contatos desse tipo. No primeiro semestre do ano, os enganos representaram 20,84% dos chamados.

O alto índice é um desafio que as equipes de regulação e da assistência precisam superar todos os dias. Das solicitações feitas em agosto, apenas 40% viraram atendimentos. Os outros 60% dividiram-se em ligações por engano (22%), pedido de informações (15%), ligações interrompidas (8,4%), trotes (5,4%), chamadas repetidas – quando mais de uma pessoa liga para o mesmo fato – (4,8%) e fora da área de abrangência do Samu (4%).

Ao entrar em contato com o serviço, é importante ter em mente que o Samu atende situações de risco de vida. “As pessoas ligam para o 192, mas na verdade querem falar com outros serviços de emergência, como Bombeiros ou Brigada Militar”, afirma a coordenadora do Núcleo de Educação Permanente, Dinorá Cenci. Para outras informações não relacionadas ao tema, o 192 não deve ser acionado, pois isso pode prejudicar o atendimento de quem precisa.

Confira como utilizar o Samu de maneira correta:
Confirme se outra pessoa já não realizou o chamado.
Diga ao telefonista o endereço completo, indicando pontos de referência (escolas, cruzamentos, supermercados, igrejas, etc.).
Não desligue a ligação. Você falará com um médico em seguida.
Diga seu nome e o que está vendo. Responda com calma às perguntas do médico.
Em caso de acidente de trânsito, indique quantas vítimas há no local e se existe alguém preso no interior do veículo. Siga os conselhos do médico enquanto aguarda a chegada do socorro. Peça para outra pessoa sinalizar para a ambulância quando o veículo estiver chegando ao local.
Qualquer nova informação, ligue novamente para o 192 e relate as mudanças ocorridas.

Números de emergência:
Bombeiros – 193
Brigada Militar – 190
Defesa Civil – 199
EPTC – 118
Fala Porto Alegre – 156
Polícia Civil – 197
Polícia Rodoviária Federal – 191
Polícia Federal – 194
Samu – 192

Foto: Cristine Rochol/PMPA

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre

Compartilhe essa notícia: