| Redação RDC TV |

O empresário e proprietário da Box Crossfit Manada, Marlon Rosa, gostaria que o prefeito Nelson Marchezan considerasse o retorno das atividades físicas como atividade essencial. Rosa afirma que a pandemia estourou no auge do crescimento dos negócios e, com as idas e vindas dos decretos, toda vez que a empresa estava começando a se recuperar, surgia um novo decreto que mudava as regras. O empresário diz ter feito investimentos para a adaptação às medidas sanitárias em torno de R$5 mil.

“No auge do nosso crescimento estourou a questão da pandemia. Com isso, ficamos fechados durante um mês e meio e isso já foi um baque muito forte. Na última semana de março estávamos com sete alunos experimentais e perdemos todos. Dos quase 160 alunos já inscritos, passamos a 130 no mesmo período”, lembra.

Ele diz, inclusive, que o Conselho Regional de Educação Física (CFREF) descreve o profissional de saúde como agente de saúde e que as atividades físicas previnem doenças como a ansiedade e a depressão, além de reforçar o sistema imunológico e respiratório.

“Prevenindo doenças, deixamos espaço para quem realmente precisa de tratamento para o coronavírus”, afirma.

Rosa acredita que Marchezan “deveria saber a importância da educação física para a saúde”, mas que, na prática, os empresários estão sozinhos e precisando se reinventar por conta própria. Para suprir a diminuição da demanda, aulas ao ar livre ou pela plataforma zoom foram programadas.

A iniciativa, contudo, não anula a súplica do empresário para que as academias, centros de treinamento e boxes de Crossfit reabram. Rosa vê a questão política acentuando os entraves para o retorno das atividades.

“Essa guerra política que está acontecendo torna tudo um caos, e esse caos está prejudicando todos os empresários”, finaliza.

Compartilhe essa notícia: