A Polícia Civil realizou a 2ª fase da Operação Barão, na manhã desta terça-feira (2). O grupo investigado é suspeito de simular ocorrências policiais como roubos e acidentes para ganhar dinheiro. Até o momento três homens foram presos.

A ação ocorreu em oito municípios gaúchos e cumpre 16 mandados de busca e apreensão, seis de prisão contra um grupo suspeito de realizar diversas fraudes como simulação de roubos, furtos e acidentes de veículos para obter vantagens financeiras.

Segundo os delegados Marco Guns e Rafael Liedtke, a segunda fase da Operação ampliou a investigação produzida na primeira etapa, que demonstrou a existência de um sofisticado mecanismo de obtenção de dinheiro perpetrado por uma organização criminosa.

“Os indivíduos  simulavam roubos, furtos e acidentes de veículos, objetivando ludibriar autoridades públicas, através de falsos registros de ocorrências, bem como entidades privadas, com a finalidade de receber ilícito retorno financeiro baseado justamente nessas diversas espécies de fraudes”, explicaram os delegados.

Na primeira fase, realizada em 2018, a polícia descobriu que o grupo (com pelo menos 30 pessoas) lucrava cerca de 800 mil reais por mês.

A ação de hoje ocorreu em Porto Alegre, Canoas, Viamão, Alvorada, Cachoeirinha, Gravataí, Capão da Canoa e Eldorado do Sul.

 

Foto: Divulgação Polícia Civil