Uma operação comandada pela Polícia Federal investiga doleiros que movimentaram R$ 1,4 bilhão e lavaram dinheiro do tráfico de cocaína para a Europa. 10 pessoas foram presas no Rio Grande do Sul.

A PF e a Receita Federal deflagraram a operação nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Goiás em combate ao tráfico internacional de drogas, à lavagem de dinheiro e aos crimes contra o sistema financeiro nacional.

A Operação Planum investiga o tráfico de drogas que ingressava no país em pequenos aviões para depois ser enviada à Europa pelos portos brasileiros. As transações ilícitas eram feitas no exterior por doleiros estabelecidos em São Paulo.

A Polícia cumpriu 23 mandados de prisão e 40 de busca e apreensão em Porto Alegre. O inquérito policial foi instaurado em junho de 2017 para apurar o envio de cocaína da Bolívia para o Rio Grande do Sul.

As investigações identificaram que aviões partiam de Mato Grosso do Sul para serem carregados na Bolívia, com 500kg de cocaína em média, e seguiam até o Rio Grande do Sul, onde pousavam em fazendas da organização criminosa.

Depois, a droga seguia por terra para outros estados e ficava em depósitos até ser despachada para a Europa. Em uma apreensão feita em junho deste ano, a PF flagrou 448kg da droga escondidos em um bloco de concreto.

Segundo as autoridades, foi possível comprovar que mais de 2 toneladas de cocaína foram enviadas ao exterior. O rastreamento do fluxo financeiro do grupo criminoso só foi possível após a prisão de um traficante e de outros investigados, ocorrida em agosto de 2017, em Tramandaí.

A investigação aponta para um banco informal responsável pela lavagem de dinheiro. Nos últimos três anos, 1,4 bilhão de reais foram movimentados por essa instituição financeira clandestina.

A Polícia já rastreou cerca de 90 empresas de fachada e 70 pessoas empregadas como laranjas do grupo. 81 caminhões, 8 aeronaves e 6 embarcações foram apreendidos. 13 imóveis foram sequestrados e 178 contas jurídicas foram bloqueadas em todo país.

 

Foto: Polícia Federal/Divulgação