Políticos de Novo Hamburgo estariam envolvidos em uma rede de lavagem de dinheiro de uma facção do tráfico. O caso está sendo investigado desde 2016 pela Polícia Civil, que, na manhã desta quarta-feira (12), realizou a Operação Consilium, em busca de documentos e provas dos crimes. O nome da operação vem do latim e significa política.

De acordo com o delegado Márcio Zachello, a Juliano Birom da Silva é investigado há dois anos, por envolvimento com o tráfico de drogas e acusado de homicídio. Ele seria o articulador de um esquema envolvendo o vereador de Novo Hamburgo Emerson Fernando Lourenço, o Fernandinho, do Solidariedade, e o subsecretário de obras do município, Pedro André Arenhardt.

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Segundo as investigações, o vereador recebeu dinheiro do tráfico para a sua campanha. O esquema envolveria a compra e a venda de imóveis, o uso de contas bancárias de empresas de transporte e teria movimentado R$15 milhões entre 2012 e 2018. Uma das empresas do vereador seria o ponto de retirada de dinheiro de Birom.

Fernandinho está em seu primeiro mandato, ele foi eleito com 2.232 votos. O vereador já havia sido preso no ano passado, por posse ilegal de arma de fogo.

Na operação de hoje, ninguém foi preso, mas muitos documentos foram apreendidos.