O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS) divulgou que já foram diagnosticados 24 casos de dengue no Rio Grande do Sul. Nove deles são autóctones (contraídos em solo gaúcho), foram registrados em Panambi, Candido Godoi, Erval Seco, Marau, Santo Antônio das Missões, Ivoti, Glorinha e São Borja.

De acordo com o CEVS, outros 100 casos foram descartados e 72 ainda estão sendo investigados. O número de pacientes confirmados é três vezes maior do que no mesmo período em 2018, quando apenas 8 pessoas foram infectadas. Além do aumento, no ano passado, em nenhum dos casos o doente foi infectado no Estado, todos foram em viagens.

Este ano, o CEVS também foi notificado de 45 possíveis casos de febre Chikungunya. Um diagnóstico foi confirmado, de um paciente que reside em Porto Alegre, mas contraiu a doença em viagem. Foram descartadas 22 notificações e outras 22 seguem sendo investigadas.

A febre Chikungunya, assim como a dengue e o Zika Vírus são transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti. O Governo do Estado alerta para as principais formas de prevenir a proliferação do mosquito, confira:

– Fechar as caixas d’água, tonéis e latões
– Guardar pneus velhos em abrigos
– Colocar embalagens de vidro, lata e plástico em uma lixeira bem fechada
– Limpar com escovação os bebedouros dos animais
– Manter desentupidos os ralos, calhas, canos, toldos e marquises
– Manter a piscina tratada o ano inteiro
– Guardar garrafas vazias com o gargalo para baixo
– Não acumular água nos pratos com plantas, enchendo-os com areia
– Colocar areia nos cacos de vidro dos muros.

 

Foto: Palácio Piratini