Com o objetivo de identificar e tratar o maior número de pessoas portadoras do vírus causador da hepatite C, o Rotary Club Santa Maria Sul em parceria com os alunos dos cursos de medicina e enfermagem da Universidade Franciscana (UFN), proporcionou, mais uma vez, a campanha de combate à Hepatite C em Santa Maria. A 3ª edição da campanha ocorreu sábado, dia ,20, na Praça Saldanha Marinho e realizou testes rápidos para identificar a doença. Os alunos também realizaram a verificação de pressão arterial.

Conforme a presidente do Rotary Club Santa Maria Sul, Marilane Brain Teixeira Flores, a campanha contou com o auxilio de 80 alunos e realizou mais de 340 testes. O tempo de espera dos resultados não ultrapassou os 20 minutos. “O teste é rápido e feito com apenas algumas gotas de sangue retiradas da ponta do dedo. Com o diagnóstico positivo, as pessoas foram orientadas e encaminhadas para o tratamento adequado e gratuito”, completou Marilane Flores.

A hepatite C é uma infecção causada por um vírus transmitido através do contato com sangue contaminado. Embora ataque, principalmente, o fígado, chegando a desencadear cirrose ou câncer, a doença interfere na ação da insulina no organismo e pode causar diabetes tipo 2. Porém, a doença é silenciosa, ou seja, não há sintomas na maioria dos casos. No Brasil, ela atinge 2 milhões de pessoas, das quais 70% não sabem que a possuem e apenas 10% foram tratadas. A boa notícia é que a doença tem cura: 95% dos casos mundiais em um período de três a seis meses de tratamento, segundo a OMS. Assim, entidades e sociedades médicas alertam para a importância da realização do teste.

 

 

Fonte: Arlei Silveira – Jornalista – Assessoria de Comunicação