A Polícia Civil realizou uma operação para desarticular uma quadrilha que negociava carros por drogas no Rio Grande do Sul, no Paraná e até no Uruguai. A ação aconteceu simultaneamente em 12 cidades gaúchas, na manhã desta terça-feira (18).

Segundo as investigações, traficantes gaúchos e paranaenses organizaram um espécie de consórcio, para abastecer o comércio de drogas no Rio Grande do Sul e no Uruguai. Um dos principais líderes da quadrilha, ainda de acordo com a polícia, é um homem que está preso no Paraná.

Ele mantinha contato frequente com traficantes do Vale do Sinos, região que funcionava como base das ações criminosas. O esquema funcionava com a troca de drogas por carros. O veículos poderiam variar de valor caso estivessem legalizados ou fossem clonados.

Pelos veículos, o grupo obtinha drogas que eram distribuídas para traficantes em quase todas as regiões do estado. E, a Polícia Civil suspeita, que o entorpecente também era levado para o Uruguai.

Em outubro, quando a quadrilha já era investigada, foram apreendidos 150 quilos de maconha. E após sete meses de investigações, foi deflagrada a Operação Capote, que contou com 150 policiais e cumpriu 30 ordens judiciais.

A Polícia Civil suspeita que o grupo movimentava R$1 milhão por mês. Duas pessoas foram presas em flagrante durante a operação.

 

Foto: Polícia Civil/ Divulgação