A boa contribuição do varejo gaúcho para que o Rio Grande do Sul tivesse, em outubro, saldo positivo na geração de postos de trabalho com carteira assinada é um ponto que merece ser saudado nessa reta final de 2018, na avaliação do presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch. Foi o segundo mês consecutivo em que o Estado registrou mais contratações do que dispensa de trabalhadores, de acordo com levantamento do do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). No total, o RS teve um aumento de 9.319 vagas de emprego, sendo que o comércio teve o melhor resultado entre os setores, com saldo de +4.279.

O desempenho positivo do varejo no período deve-se muito ao fato dos lojistas realizarem contratações temporárias para o período de final de ano, onde, tradicionalmente, aumenta a demanda de clientes e é necessário ter equipes mais robustas.

— Sempre há tendência de contratações temporárias em setembro, outubro e novembro, porque é o auge do varejo, quando os lojistas se preparam para as vendas que, historicamente, são as maiores no segundo semestre – destaca Vitor Augusto Koch.

O presidente da FCDL-RS lembra, ainda, que o advento da Black Friday, em novembro, é outro fator que impulsiona o número de admissões no período. Além disso, há um maior volume de dinheiro circulando no segundo semestre, outro aspecto que auxilia o surgimento de mais oportunidades no mercado de trabalho.

— Também tivemos algumas coisas que contribuíram na circulação de capital, como ingresso do dinheiro do PIS/Pasep e o adiantamento da metade do 13º salário dos aposentados. Agora, aproxima-se a metade do 13º dos trabalhadores e do adiantamento da distribuição do resultado de exercício. Então, há mais dinheiro, a demanda aumenta e o comércio e o próprio setor de serviços contratam bastante – ressalta Vitor Augusto Koch.

O levantamento do Caged apontou que o Rio Grande do Sul teve o terceiro melhor desempenho entre os estados no mês de outubro, ficando atrás de São Paulo (+13.088) e Santa Catarina (+9.743). No âmbito nacional, o resultado também foi de mais empregos, com 57,7 mil vagas e acúmulo de 790,6 mil postos formais.

No período de abril a agosto, o Rio Grande do Sul tinha registrado uma série negativa de geração de empregos, fato que teve reversão em setembro, quando voltou a ter saldo positivo e seguiu em outubro, com mais admissões do que demissões.  No acumulado do ano, a diferença entre contratados e demitidos é de 31,5 mil.

Porto Alegre foi o município com o melhor saldo em outubro, com + 1.437, ficando no topo do ranking por possuir fatores que contribuem para o aumento da contratação de colaboradores, como a concentração do maior número de pessoas e dos maiores shoppings. Na sequência, vieram Caxias do Sul (+640) e Rio Grande (+364).

 

Fonte: FCDL-RS

Foto: Pixabay