Foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini

O governador eleito do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, esteve em Brasília nesta quarta-feira (9), em reunião no Supremo Tribunal Federal (STF), com o ministro Gilmar Mendes, para tratar do ressarcimento aos Estados por conta das perdas de arrecadação geradas pela redução das alíquotas de ICMS.

Com a participação do governador Ranolfo Vieira Júnior, Leite reiterou ao ministro a necessidade de se encontrar uma fórmula de os Estados recuperarem as suas receitas. “ O Rio Grande do Sul deixou de ser um estado que atrasa salários e voltou a investir, mas o equilíbrio está ameaçado”, afirmou o governador eleito.

Mendes trabalha na mediação dos interesses da União e dos Estados por meio de uma comissão especial, que busca uma proposta de consenso até o início de dezembro.  Os Estados vão apresentar uma proposta conjunta alternativa. “O ideal seria encontrar uma saída sem a necessidade de um novo projeto de lei e que ocorra por meio de transferências diretas de receita, não com abatimento da dívida”, propôs Leite ao ministro.

Já no campo político, a primeira reunião do dia foi com Roberto Freire, presidente nacional do Cidadania, partido com o qual o PSDB forma uma federação. Leite e Freire conversaram sobre o futuro das duas siglas e sobre a possibilidade de reforçarem a associação partidária com a entrada de outras agremiações.

O governador eleito participou de duas agendas com o PSDB, uma na Câmara dos Deputados com a bancada federal e um almoço com a direção nacional e parlamentares da sigla, entre eles o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Nos dois encontros, foi debatido o futuro do PSDB e o papel que os governadores eleitos em 2022 terão na condução do partido a partir de 2023.

Compartilhe essa notícia: