Tendo em vista o clima seco e quente, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams) elaborou algumas dicas de cuidados com cães e gatos e uso das áreas verdes. Além de hidratação constante dos pets, usuários de praças e parques devem evitar o descarte de bitucas de cigarro e de resíduos fora dos coletores.
O coordenador de Áreas Verdes, Alex Souza, explica que, de forma geral, a vegetação está mais seca e propensa a queimadas caso haja descuidos. “Porto Alegre possui cerca de 20 milhões de m² de praças e parques. Não é sustentável irrigar toda esta vegetação, sob risco de desabastecimento de água para a população e para os animais. Por isso, é essencial que a população cuide e zele pelos espaços”, alerta. Souza destaca que as equipes ampliaram a atenção e o monitoramento dos parques para tentar inibir impactos para a fauna e agir com brevidade em situações de emergência.
O gestor da Unidade de Saúde Animal Victória, Bruno Wagner, explica a importância de redobrar a atenção com a hidratação dos animais nesta época do ano. “Nas caminhadas, levar água para o cão e, em casa, ajuda bastante aumentar o número de vasilhas com água e até mesmo colocar pedras de gelo, para refrescar.” Alerta que deixar o animal sozinho dentro do carro é um risco, pois as temperaturas sobem rapidamente e ele pode entrar em choque e até vir a óbito com o calor. “Animais de pelagem clara ou rala também necessitam de protetor solar para evitar queimaduras e até câncer de pele. Outra dica é mantê-los nos locais de menor incidência de sol durante o dia. Se for necessário, vale deixar o ar-condicionado ou ventilador ligados, e evitar passeios entre 10h e 18h.”
Wagner destaca ainda que, em função do calor, é comum a redução do apetite dos animais. “Uma alternativa para mantê-los saudáveis é oferecer alimentação em horários de temperatura mais amena, no início da manhã e à noite. Outras alternativas podem ser os “picolés” caseiros feitos com frutas, misturados com água de coco.”
A médica veterinária Juliana Herpich, da Usav, lembra que, nesta época do ano, aumenta a proliferação de pulgas e carrapatos. “Caso esses insetos apareçam, é urgente que se procure um veterinário para a aplicação de medicamento preventivo e antiparasitários.” Outra dica é manter a pelagem do animal mais curta, para facilitar a visualização dos parasitas e reduzir o calor. “No caso das moscas, evitar que ferimentos na pele dos animais permaneçam expostos, a fim de dificultar a criação de larvas. Uma boa alternativa é a utilização de telas nas janelas das casas, evitar acúmulo de resíduos e usar produtos repelentes”, acrescenta a veterinária.

 

Reportagem: Ari Teixeira e Cibele Carneiro/PMPA