O Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo (rua João Alfredo, 582, bairro Cidade Baixa) inaugura, na sexta-feira, 8, às 14h, a exposição Interfaces Arquipélago: um bairro feito de ilhas e muitas histórias. A exposição é resultado de uma parceria entre o Museu das Ilhas, o Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo e o projeto Interfaces Arquipélago. Financiado pelo Fumproarte e iniciado em 2015, o projeto dedicou-se a formar novos públicos de museus e a estimular a produção de narrativas sobre o bairro Arquipélago. Foi desenvolvido por meio de oficinas de fotografia e vídeo para moradores das ilhas e realizou visitas a diferentes museus da cidade.

O mosaico de fotografias traz imagens captadas pelos jovens que participaram das oficinas, dos educadores, de moradores das ilhas, de álbuns de família e do acervo do Museu de Porto Alegre, reunindo nessa narrativa visual a diversidade de olhares sobre o bairro. O acervo apresentado é oriundo do Museu das Ilhas e apresenta objetos representativos da cultura ilhéu contemporânea.

A iniciativa buscou aproximar distintos territórios de Porto Alegre que, por vezes, pouco se conhecem. Por um lado, o território das ilhas, com comunidades que compartilham a característica de habitar diferentes espaços que formam um arquipélago e que têm, nas águas do Guaíba, sua paisagem, sustento e modo de vida. De outro, a relação do bairro das águas com a cidade de prédios e o Centro Histórico de Porto Alegre, que pouco olha para as águas do entorno, em grande parte escondidas atrás do muro da avenida Mauá. Ilhas e Centro, no entanto, fazem parte de uma mesma história, são espaços que se explicam e se alimentam.

Para a diretora Leticia Bauer, o Museu de Porto Alegre tem realizado diversas parcerias, e o trabalho com a equipe do Projeto Interfaces e do Museu das Ilhas foi muito enriquecedor. “Esperamos que a exposição seja um convite para que as pessoas conheçam as ilhas, fundamentais para a história da nossa cidade, completa a diretora. Entre essas proximidades e distanciamentos, surgem perguntas: o que pensam e falam os jovens hoje, aqui e agora? Quais suas experiências de viver no bairro Arquipélago e quais são suas narrativas? A exposição mostra um pouco desse lugar, seus narradores, memórias e fazeres.

O resultado do projeto Interfaces também poderá ser conferido em uma exposição a céu aberto na praça Salomão Pires, na Ilha da Pintada.

Interfaces Arquipélago: um bairro feito de ilhas e muitas histórias
Abertura : sexta-feira, 8, às 14h
Museu de Porto Alegre Joaquim  Felizardo
Rua João Alfredo, 582, Cidade Baixa

 

Reportagem: Cleber Saydelles/PMPA
Foto: SMC/ PMPA