Iniciativa pioneira no Brasil, a Patrulha Maria da Penha, da Brigada Militar, realiza a fiscalização das medidas protetivas. As equipes realizam visitas preventivas, sem horário marcado, nos locais de residência das mulheres protegidas pela Justiça.

A coordenadora da Patrulha Maria da Penha em Porto Alegre, Capitã Isabele, explica que durante as visitas, as policiais conversam para identificar situações de risco e, se necessário, pedir até uma prisão preventiva de um possível agressor.

Segundo a oficial, o objetivo da patrulha, que utiliza uma viatura com a identificação do programa, é o trabalho ostensivo de prevenção. Em situações de ocorrência, que demandem o trabalho repressivo da Brigada Militar, o pedido de socorro deve ser feito pelo telefone 190.

Acompanhe a entrevista da Capitã Isabele na íntegra e tudo o que foi notícia no Rio Grande em Movimento:

Foto: Brigada Militar/ Divulgação