Após um ano sem desfile das escolas de samba da capital, esta sexta (15) marca a volta da festa ao Complexo Cultural do Porto Seco.

Sem contar com recursos da Prefeitura, as escolas se organizaram para realizar oque chamaram de O Carnaval da Resistência. 

Onde em outros anos haviam arquibancadas, agora tem pessoas em pé ou em cadeiras de praia.

A primeira escola a se apresentar foi a Academia de Samba Puro. E logo em seu primeiro carro alegórico foi possível notar o impacto da falta de recursos. O andar de cima da alegoria ficou sem passistas por não haver uma guindaste para colocar os foliões no alto.

Na avenida, acompanhando o samba, veio o protesto. Junto com um faixa contra a privatização do DMAE, bandeiras de protesto contra o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan.

Foto: Giovani de Oliveira/ RDC TV