Um bebê prematuro de apenas 7 dias morreu, neste fim de semama, na Fundação Hospital Centenário, em São Leopoldo, no Vale do Sinos. Miguel Oliveira de Lima estava internado na UTI desde que nasceu. A família alega que uma técnica de enfermagem teria injetado leite na veia da criança na noite de sábado, confundindo a sonda de alimentação com o acesso de sangue. O menino morreu na manhã de domingo. Em nota, a direção do Hospital informou que uma médica, uma enfermeira e três técnicas de enfermagem, que estavam de plantão na noite do incidente, foram afastadas até que a sindicância seja concluída.

A declaração de óbito do menino apontou como causas insuficiência respiratória, hemorragia pulmonar maciça, falência de múltiplos órgãos, reação inflamatória aguda por corpo estranho intravenoso e prematuridade. Ele foi sepultado às 10h desta segunda, no Cemitério São Borja, em São Leopoldo.

A 1° Delegacia de Polícia de São Leopoldo já instaurou inquérito e aguarda os laudos periciais. Os profissionais afastados e os familiares do menino serão ouvidos no decorrer desta semana.