A derrota, de virada, por 2 a 1, para o Santos, foi a terceira consecutiva do Juventude na Série A do Campeonato Brasileiro. Afundado na zona de rebaixamento, o alviverde é o penúltimo colocado, com apenas 10 pontos. Apesar disso, a direção alviverde garante o técnico Eduardo Baptista no cargo. Pelo menos até o jogo de domingo, contra o Atlético-GO.

“O Eduardo [Baptista] vai ser o treinador em Goiânia contra o Atlético-GO”, afirmou Marcelo Barbarotti, executivo de futebol do Ju, em entrevista coletiva após a derrota para o Santos. O dirigente frisou que a avaliação sobre a troca de comando tem que ser feita de forma racional, sem simplesmente responder à “ira do torcedor”.

“Essa avaliação tem que ser bem realista. Lógico que o trabalho do treinador sempre é o primeiro a ser questionado. Mas precisamos avaliar o departamento de futebol como um todo, o nosso trabalho, e analisar os jogos. Não podemos simplesmente trocar o treinador porque perdemos o jogo. Temos que olhar o contexto do que está acontecendo”, ponderou Barbarotti.

Bastante contestado pela torcida, Baptista reconheceu ser natural a pressão. “É normal que a torcida cobre. Tem que cobrar mesmo. Eu sou bastante tranquilo quanto a isso. Sei das minhas obrigações, sei do que tenho que fazer. Comigo não me preocupo. Até prefiro que a pressão esteja na minha pessoa. Minha preocupação é com os atletas”, afirmou o treinador.

Foto: Juventude TV

Compartilhe essa notícia: