O árbitro Igor Junio Benevenuto de Oliveira, de Minas Gerais, relatou em súmula a razão da expulsão de Edenílson, ao final do empate com o Vasco.

No documento, o mineiro afirma que após a partida, o atleta foi à sua direção e, após proferir um palavrão (escrito na súmula), seguiu com os xingamentos “safado, vagabundo, vocês acabaram com o nosso campeonato”.

O relato ainda diz que Edenílson teve que ser contido pelos companheiros e pelo policiamento. O volante cumpre suspensão e desfalca o Inter na partida contra o Atlético-PR, no próximo domingo, no Beira-Rio.

Se for denunciado, em uma eventual punição, o jogador pode pegar de duas a seis partidas de suspensão.

O árbitro também relata a expulsão do médico do Inter, Carlos Poisl. Segundo o que escreveu na súmula, o motivo foi uma garrafa de água atirada contra o chão, fora do campo, “de maneira agressiva”. Ele completa informando que a garrafa não atingiu ninguém.

Ele ainda relata que todo o elenco invadiu o gramado. “Informo que todos os integrantes da comissão técnica e os atletas suplentes da equipe do sport clube internacional, entraram no campo de jogo ao término da partida, juntamente com os atletas que estavam em campo e se dirigiram a equipe de arbitragem para contestar de forma acintosa as decisões da arbitragem, tendo que ser contido pelo policiamento.”

 

Foto: Ricardo Duarte/ Inter