Em entrevista a Rádio Bandeirantes, o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, disse o que imagina do jogo do Tricolor contra o River, nesta terça. Ele espera um confronto mais intenso e tático do que foi o primeiro.

Se para a partida da Argentina, Romildo apontava o River como favorito, por jogar em casa, agora, na Arena, o presidente diz não haver favoritismo de nenhum lado.

Enquanto aguardam pela disputa dentro das quatro linhas, fora delas as diretorias dos dois clubes dão mostras de cordialidade.

Após representantes da Fundação River Plate conhecerem o Instituto Geração Tricolor, o presidente do clube argentino, Rodolfo D’Onofrio, e sua comitiva almoçaram com Romildo Bolzan e membros da diretoria gremista.

Já na Argentina, uma declaração do vice-presidente de futebol, Duda Kroeff, que virou assunto. A tv Tyc Sports repercute a afirmação que ele preferia enfrentar o Boca Juniors na final.

A explicação é simples, se novamente tiver que jogar em Buenos Aires, o tricolor decidirá o título em Porto Alegre. Mas, se o Palmeiras conseguir reverter o placar contra o Boca, o último jogo será em São Paulo.

Independente de quem for o adversário, o Grêmio já está estudando. Após vencer o River, na terça-feira passada, um analista tricolor ficou mais um dia em Buenos Aires para assistir de perto a outra partida das semifinais.

 

Foto: Lucas Uebel/ Grêmio